Enredo da Noite, de Gonçalo Carrera



É sexta-feira à noite, caminho compassadamente pelas ruas da cidade e, elevado pelo impulso do momento, mergulho de cabeça no mar de pensamentos, deixo-me arrastar pela corrente de amargos e doces momentos que se comportam como marés, o fado universal. Oiço ao fundo uma melodia, qual canto de sereia, fundindo-se com os meus pensamentos, que me vai fazendo emergir à superfície do sólido e tangível. A canção propaga-se com notas soltas e acordes, despertando em mim felicidade. Oiço uma voz, felina e delicada que como um íman me atrai. Navego por aquelas ondas sonoras, orientado pelo som estéreo, até chegar ao meu destino. Estou frente a frente à dona daquela voz sublime, tocando guitarra. Deixo-me envolver naquele momento mágico, estou dentro da música e ela em mim.

Findo o concerto dirijo-me àquela musa inspiradora e abordando-a gentilmente pergunto-lhe quando e onde a poderia ouvir de novo.


Gonçalo Carrera

1 comment:

Sofia said...

Muito bonito :)