Calor de Chuva de Mara Vanessa Torres



Calor de Chuva



Partículas de poeira dançam e rodopiam

Acima dos homens e de uma cidade que grita

Os pequenos fragmentos de poeira são embalados

Pelo sibilar do vento, pelas gotas de chuva

Gotas de um céu que ri, chora, ama, fere

Na terra dos homens, o calor que oprime

O mormaço que abafa, esconde e sopra para longe

As partículas de poeira que circulam e rodopiam

Voam e anunciam

Que nesse calor de chuva

São as nossas sensações

Os nossos corações

As nossas emoções

Os nossos sentidos

E nada mais para usar, ser ou mostrar

Nesse calor de chuva

As partículas de poeira dançam como borboletas

Flutuando no espaço

De uma cidade vazia e cheia



De calor e chuva.

                                                                           Mara Vanessa Torres


2 comments:

Maria Valéria said...

poema lindíssimo :D
http://torporniilista.blogspot.com.br/

Jessica Henriques said...

Que lindo Mara, me emocionou, passa na cabeça a cena da chuva, maravilhoso. :)